3ª Etapa do EmCenaCatarina começa esta semana

Mais um mês que começa e o terceiro circuito do EmCenaCatarina 2017 segue com apresentações gratuitas pelo Norte do estado. O Teatro em Trâmite está circulando com a peça “A Luva e a Pedra”, e os trabalhos que seguem são: o espetáculo de dança contemporânea “Recluso”, de Elke Siedler e Diogo Vaz Franco, e a performance em dança “O pior de mim”, de Monica Siedler com o artista visual Bruno Bez. 

Iniciamos as apresentações pelo Oeste, no mês de abril, e também já passamos pelo Sul do estado. A próxima etapa acontece em Caçador (05/06), Canoinhas (06/06), São Bento do Sul (07/06), Jaraguá do Sul (08/06), Joinville (09/06). Até o mês de setembro, 25 cidades recebem o projeto. As programações detalhadas podem ser consultadas em: http://ww2.sesc-sc.com.br/projeto/162.

O EmCenaCatarina é o maior projeto de circulação de espetáculos de artes cênicas Santa Catarina, que fomenta e valoriza a cultura local. Há 17 anos na estrada, o SESC leva gratuitamente um recorte do melhor da produção local na linguagem, para todas as regiões do Estado. 

Sinopses e Fichas Técnicas:

Espetáculo: “A Luva e a Pedra”, do Teatro em Trâmite 
Classificação etária: 12 anos
Sinopse: Nelson Santos é um boxeador que fala da memória de uma época passada, no interior da França, onde viveu. A peça faz uma reflexão sobre destino e liberdade, lançando mão de questões que todos já fizemos um dia: Nós escolhemos nosso futuro? Ou apenas viajamos um caminho já traçado? (Teatro, 55 min)

Ficha Técnica:
Tradução e adaptação de “El Guante y La Piedra” de Quique Fernandez por André Francisco.
Elenco e Direção: André Francisco.
Operação de Luz e Som: Leandro Rovaris
Produção: Teatro em Trâmite

Espetáculo: “Recluso”, de Elke Siedler e Diogo Vaz Franco
Classificação etária: 14 anos
Sinopse: Solo de dança contemporânea criado em confluência com a obra DE PROFUNDIS de Oscar Wilde. A proposta é criar uma ambiência prisional habitada por fluxos contínuos de movimentos enquanto metáfora poética sobre as transformações transitórias da dor, tecidas ao longo de uma temporalidade dilatada. (Duração: 45 min)


Elke Siedler é artista-docente da dança contemporânea. Doutora em Comunicação e Semiótica, pela PUC/SP; Mestre em Dança e Especialista em Estudos Contemporâneos em Dança, pela UFBA. Foi professora colaboradora da Graduação de Teatro, da UDESC (2013-2014). Foi bailarina do Grupo Cena 11 Cia. de Dança (1996 a 2002) e intérprete criadora da Siedler Cia. de Dança (2003 a 2013). Desde 2014 desenvolve trabalhos solo, sendo que atualmente está em cartaz com o espetáculo solo Rec(L)usadx, que trata sobre as reverberações no corpo em decorrência das superficialidades das relações humanas.


Diogo Vaz Franco Santiago é graduado em Artes Cênicas pela UDESC. De 2006 a 2008 teve treinamento em técnicas circenses com Jean Machado e desde então desenvolve trabalho artístico independente como acrobata aéreo. Desde 2009 é aluno-bolsista de balé  clássico   da  Associação  Cultural  Arte.Dança,   sendo   bailarino   nos   espetáculos   ‘Coppélia’(2009), ‘Escrito à Mão’ (2010) e ‘O Quebra Nozes’ (2011). Fez parte do elenco do espetáculo de dança-teatro ‘O  Asno   de  Apuleio’   (2008)   pela  Andras,  Cia.   de   Dança-Teatro.   Atualmente desenvolve treinamento na escola de circo CircoCan (Florianópolis/SC) e integra a cia. de circo contemporâneo Circar.

Espetáculo: “O Pior de Mim”, de Monica Siedler com Bruno Bez
Classificação etária: 14 anos
Sinopse: Um corpo coletivo em ruínas está defronte aos fracassos de suas ações passadas. É uma dança de comportamentos viciados, um acionamento, algo disparado por outrem, onde a materialidade do corpo conversa com a projeção imagética em uma ambiência de precariedade e transitoriedade. (Duração 35-45 min)

Ficha Técnica
Criação e performer: Monica Siedler
VJ: Bruno Bez
Pesquisa compartilhada com Barbara Biscaro
Música: Hedra Rockenbach
Cenário: Roberto Gorgati
Figurino: Loli Menezes
Design gráfico: Paula Albuquerque
Técnica de Luz e Som – abril e maio: Hedra Rockenbach
Técnico de Luz e Som – junho a setembro: Andrés Tissier
Agradecimentos: Elke Siedler, Mariana Coral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *