3ª Etapa do EmCenaCatarina começa esta semana

Mais um mês que começa e o terceiro circuito do EmCenaCatarina 2017 segue com apresentações gratuitas pelo Norte do estado. O Teatro em Trâmite está circulando com a peça “A Luva e a Pedra”, e os trabalhos que seguem são: o espetáculo de dança contemporânea “Recluso”, de Elke Siedler e Diogo Vaz Franco, e a performance em dança “O pior de mim”, de Monica Siedler com o artista visual Bruno Bez. 

Iniciamos as apresentações pelo Oeste, no mês de abril, e também já passamos pelo Sul do estado. A próxima etapa acontece em Caçador (05/06), Canoinhas (06/06), São Bento do Sul (07/06), Jaraguá do Sul (08/06), Joinville (09/06). Até o mês de setembro, 25 cidades recebem o projeto. As programações detalhadas podem ser consultadas em: http://ww2.sesc-sc.com.br/projeto/162.

O EmCenaCatarina é o maior projeto de circulação de espetáculos de artes cênicas Santa Catarina, que fomenta e valoriza a cultura local. Há 17 anos na estrada, o SESC leva gratuitamente um recorte do melhor da produção local na linguagem, para todas as regiões do Estado. 

Sinopses e Fichas Técnicas:

Espetáculo: “A Luva e a Pedra”, do Teatro em Trâmite 
Classificação etária: 12 anos
Sinopse: Nelson Santos é um boxeador que fala da memória de uma época passada, no interior da França, onde viveu. A peça faz uma reflexão sobre destino e liberdade, lançando mão de questões que todos já fizemos um dia: Nós escolhemos nosso futuro? Ou apenas viajamos um caminho já traçado? (Teatro, 55 min)

Ficha Técnica:
Tradução e adaptação de “El Guante y La Piedra” de Quique Fernandez por André Francisco.
Elenco e Direção: André Francisco.
Operação de Luz e Som: Leandro Rovaris
Produção: Teatro em Trâmite

Espetáculo: “Recluso”, de Elke Siedler e Diogo Vaz Franco
Classificação etária: 14 anos
Sinopse: Solo de dança contemporânea criado em confluência com a obra DE PROFUNDIS de Oscar Wilde. A proposta é criar uma ambiência prisional habitada por fluxos contínuos de movimentos enquanto metáfora poética sobre as transformações transitórias da dor, tecidas ao longo de uma temporalidade dilatada. (Duração: 45 min)


Elke Siedler é artista-docente da dança contemporânea. Doutora em Comunicação e Semiótica, pela PUC/SP; Mestre em Dança e Especialista em Estudos Contemporâneos em Dança, pela UFBA. Foi professora colaboradora da Graduação de Teatro, da UDESC (2013-2014). Foi bailarina do Grupo Cena 11 Cia. de Dança (1996 a 2002) e intérprete criadora da Siedler Cia. de Dança (2003 a 2013). Desde 2014 desenvolve trabalhos solo, sendo que atualmente está em cartaz com o espetáculo solo Rec(L)usadx, que trata sobre as reverberações no corpo em decorrência das superficialidades das relações humanas.


Diogo Vaz Franco Santiago é graduado em Artes Cênicas pela UDESC. De 2006 a 2008 teve treinamento em técnicas circenses com Jean Machado e desde então desenvolve trabalho artístico independente como acrobata aéreo. Desde 2009 é aluno-bolsista de balé  clássico   da  Associação  Cultural  Arte.Dança,   sendo   bailarino   nos   espetáculos   ‘Coppélia’(2009), ‘Escrito à Mão’ (2010) e ‘O Quebra Nozes’ (2011). Fez parte do elenco do espetáculo de dança-teatro ‘O  Asno   de  Apuleio’   (2008)   pela  Andras,  Cia.   de   Dança-Teatro.   Atualmente desenvolve treinamento na escola de circo CircoCan (Florianópolis/SC) e integra a cia. de circo contemporâneo Circar.

Espetáculo: “O Pior de Mim”, de Monica Siedler com Bruno Bez
Classificação etária: 14 anos
Sinopse: Um corpo coletivo em ruínas está defronte aos fracassos de suas ações passadas. É uma dança de comportamentos viciados, um acionamento, algo disparado por outrem, onde a materialidade do corpo conversa com a projeção imagética em uma ambiência de precariedade e transitoriedade. (Duração 35-45 min)

Ficha Técnica
Criação e performer: Monica Siedler
VJ: Bruno Bez
Pesquisa compartilhada com Barbara Biscaro
Música: Hedra Rockenbach
Cenário: Roberto Gorgati
Figurino: Loli Menezes
Design gráfico: Paula Albuquerque
Técnica de Luz e Som – abril e maio: Hedra Rockenbach
Técnico de Luz e Som – junho a setembro: Andrés Tissier
Agradecimentos: Elke Siedler, Mariana Coral.

Mostra Maio pela Casa – Última Semana

Depois de três finais de semana com teatro e performances acontecendo na Casa Vermelha, a Mostra Maio pela Casa chega a sua última semana. No total serão oito apresentações de diferentes grupos e artistas da cidade. Tivemos o prazer de tê-los no espaço compartilhando seus trabalhos e suas experiências com o público.      

Nos próximos dias 02 e 03 de junho, os trabalhos que se apresentam na Casa trazem humor e descontração para a família. Na sexta, temos o teatro de animação “Ivan Titerenovich e os males do tabaco”, da Cia. Cênica Espiral; e, fechando a Mostra no sábado, temos o trabalho “Noite de Palhaçaria”, da Traço Cia. de Teatro.

Todos os artistas convidados deixaram o valor integral da bilheteria para a Casa Vermelha. O ano de 2017 tem se mostrado bastante difícil e iniciativas como esta servem para contribuir para a permanência do espaço aberto e ativo na cidade.

A Casa Vermelha é um centro cultural alternativo sediado no centro de Florianópolis desde 2013. Um espaço sem apoio público ou da iniciativa privada e que encontra, em eventos como este, alternativas para a sua manutenção mensal.

Mostra Maio pela Casa

Durante os finais de semana do mês de maio, a Casa Vermelha promove a Mostra Maio pela Casa, uma iniciativa que convida artistas amigos para apresentações sempre às sextas e sábados, às 20h. O objetivo principal do evento, além das apresentações e divulgações dos trabalhos artísticos, é a possibilidade de reunir verba para a manutenção do espaço.

Todos os artistas convidados vão deixar o valor integral da bilheteria para a Casa Vermelha. O ano de 2017 tem se mostrado bastante difícil e iniciativas como esta servem para contribuir para a permanência do espaço aberto e ativo na cidade.

São oito trabalhos, divididos em quatro finais de semana. Já se apresentaram o grupo Teatro em Trâmite (coletivo sediado na Casa Vermelha) e seu espetáculo “A Luva e a Pedra” e Everton Lampe com sua performance “ORUM”.

Nos próximos fins de semana se apresentam a atriz Heloisa Marina e seu trabalho de teatro de animação “Poses para (não) esquecer”; a performance em dança de Monica Siedler “O Pior de mim”; o monólogo “Hipocôndrio” do Coletivo Transtorno; o espetáculo “Récita”, de Barbara Biscaro e Fernando Bresolin; o trabalho em teatro de animação “Ivan Titerenovich e os males do tabaco”, da Cia. Cênica Espiral; e finalizando com o trabalho “Noite de Palhaçaria”, da Traço Cia. de Teatro.

A Casa Vermelha é um centro cultural alternativo sediado no centro de Florianópolis desde 2013. Um espaço sem apoio público ou da iniciativa privada e que encontra, em eventos como este, alternativas para a sua manutenção mensal.

Lançamento da Revista Trâmite 14

No próximo dia 29 de abril, sábado, temos a alegria de lançar nossa primeira publicação do grupo. A revista Trâmite 14 – Revista de registro da trajetória do Teatro em Trâmite (2003 – 2017), chega com a história, textos de colegas de trabalho, fotos e clipagens que reunimos neste período.

Esta é uma publicação que chega em um novo momento de reestruturação do coletivo e que traz novos ares ao nosso trabalho. Rever tudo que conquistamos e realizamos nestes catorze anos é gratificante, o que só nos anima ainda mais a seguir a diante trabalhando com teatro.

Na revista, contamos com a contribuição de textos escritos por parceiros de trabalhos e antigos integrantes do grupo, fotos de todas as épocas e montagens do coletivo, clipagens de espetáculos e eventos realizados, além de fotos de bastidores e momentos de descontração do Teatro em Trâmite.

Revista Trâmite 14

O lançamento da revista será na nossa sede, a Casa Vermelha, e é aberta a todos e todas que estão interessados em compartilhar este momento tão especial com a gente. Basta enviar um e-mail, confirmando sua presença, para: contato.casavermelha@gmail.com

Convidem os amigos para celebrar com a gente este momento significativo na história do Teatro em Trâmite.

Este projeto só pode ser realizado por conta do apoio do Estado de Santa Catarina, Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Fundação Catarinense de Cultura, Funcultural e Edital Elisabete Anderle  / 2014.

Cursos de Teatro na Casa Vermelha

Começam em fevereiro os cursos regulares de teatro da Casa Vermelha. Este ano o espaço oferece alguns dos seus cursos mais tradicionais, além de trazer novidades para a sua grade de 2017.

Casa Vermelha 2017Os cursos de Teatro para Crianças e Teatro para Adolescentes abrem  começam no dia 11/02, sábado, e seguem até o fim do ano. Destinado aos pequenos e jovens, são cursos que estão na grade da Casa desde sua inauguração, em 2013.

Além destes, as turmas de Iniciação Teatral e Montagem Teatral é destinada aos adultos. A primeira, para quem está começando no mundo do teatro e o segundo para àqueles que já possuem experiências anteriores.

Para 2017 teremos a turma de Voz e Poesia, com a professora e atriz Morena Lopes (que já ofereceu a turma no segundo semestre de 2016) e a nova turma de Theatre and Acting, de estudo de teatro em inglês, para quem tem domínio avançado e fluente na língua.

Vale a pena ficar de olho no site da Casa Vermelha em www.casavermelha.art.br e acompanhar todas as novidades em oficinas do espaço, além dos eventos de teatro e música que a Casa sempre oferece.

Apresentação em Joinville

Na sexta-feira, dia 29 de abril, fomos até Joinville para apresentar o espetáculo “A Luva e a Pedra”. Almoçamos em Floripa e logo depois colocamos o pé na estrada.

A apresentação foi no Teatro do SESC, às 20h, e contou com um público bastante disponível. A recepção foi muito boa e tivemos elogios no fim do espetáculo.

SESC em Joinville

SESC em Joinville

 

Uma particularidade foi que o nosso ator, André Francisco, teve uma caibra no meio do espetáculo! Até o fim da peça, ele teve que lidar com essa situação… Não foi fácil, mas tudo correu bem. 🙂

Temos vontade de apresentar novamente em Joinville. Fiquem de olho no nosso Facebook e aqui no site, para saber sobre nossas próximas apresentações.

Fomos a Joaçaba/SC!

No último fim de semana, dias 15, 16 e 17 de abril, estivemos mais uma vez em Joaçaba, no Oeste catarinense.

Esta foi mais uma visita do Trâmite por aquelas terras, porém, tivemos o prazer de apresentar pela primeira vez no Teatro Alfredo Sigwalt, no centro da cidade.

Vista interna do teatro – Fonte: Site Cia. Atemporal.

Levamos o espetáculo “A Luva e a Pedra” e foi ótimo! Um público muito receptivo e uma boa apresentação. Além disso, o teatro tem um espaço ótimo, muito bem conservado e bem equipado. Deixamos aqui o nosso parabéns aos responsáveis pelo local.

Além da apresentação, ainda rolou uma oficina de Produção Cultural, com duração de dois dias e a presença de artistas e gestores culturais da cidade e de municípios vizinhos.

Esperamos voltar logo a Joaçaba, que sempre nos recebe muito bem! 😉

Belém 2016 – Resumão

Voltamos a Floripa!

Passamos 10 dias em Belém e foram ótimos! Conseguimos reforçar a nossa rede com os grupos da cidade e ainda realizar nosso trabalho de oficina e apresentações.

Chegamos em Belém na sexta-feira, dia 19/02, e fomos recepcionados pelo pessoal do Dirigível Coletivo de Teatro. No dia seguinte, logo pela manhã, apresentamos a contação “Histórias Horripilantes”, no SESC Boulevard, para um público de crianças bastante receptivas e animadas. Teve até sessão de fotos no final. 😀

Histórias Horripilantes em Belém 2016

Na segunda-feira, dia 22, começamos a nossa oficina sobre Stanislavski com o pessoal na Casa das Artes. Um espaço muito bacana e cheio de atividades.

O pessoal da oficina estava bastante interessado e conseguimos fazer uma troca muito bacana, com discussões e um processo que seguiu até a sexta-feira.

Oficina na Casa das Artes - Belém 2016

A nossa primeira apresentação do espetáculo “A Luva e a Pedra” em Belém, aconteceu na Fundação Curro Velho. Um espaço incrível, que recebe oficinas e apresentações de teatro, música, artes plásticas e outras linguagens artísticas.

A apresentação teve um bom público, vindo principalmente da comunidade local, que enfrentou um pequeno atraso e ainda uma noite chuvosa. Ainda assim, valeu a pena começar por lá!

No fim de semana, fizemos nossa apresentação dentro de um espaço muito bacana, um teatro todo de vidro e armações de ferro: Teatro Estação Gasômetro. Localizado no centro de Belém, o espaço é lindo e vale a visita de quem for conhecer a cidade.

Teatro Estação Gasômetro - Belém 2016

Voltamos na segunda-feira com a certeza que logo estaremos de volta a Belém. Uma cidade cheia de história e pessoas incríveis!

Que venham as próximas viagens! 🙂

Apresentações da “A Luva e a Pedra” em Belém

Está chegando o dia!

Sexta-feira, dia 26, e no fim de semana, dias 27 e 28 de fevereiro, vamos apresentar pela primeira vez o espetáculo “A Luva e a Pedra” em Belém, no Pará.

As apresentações serão no Teatro Estação Gasômetro e acontecerão sempre às 20h. Os ingressos estarão à venda no local.

A apresentação conta com o apoio do SECULT e dos nossos amigos do Dirigível Coletivo de Teatro.

Estamos bastante ansiosos para apresentar o trabalho por aqui em Belém, afinal, estamos com um jejum de 5 anos desde a última apresentação do Teatro em Trâmite por aqui.

Quem estiver pela cidade, convide os amigos e familiares para prestigiar! 🙂 Cartaz - A Luva e a Pedra - Belém 2016 02

Oficina rolando na Casa das Artes, em Belém

Começou hoje, dia 22, a oficina “Por que Stanislaski? – Releituras do criador do método para o ator” na Casa das Artes (antigo IAP), em Belém – PA.Casa das Artes
Galera compareceu em peso, animada e interessada em trocar e compartilhar com a gente. 😀 Acreditamos que vão ser boas as conversas até o fim da semana.
A oficina acontece até sexta-feira, dia 26, sempre das 9h às 12h.

Grupo Teatro em Trâmite, sua história, integrantes e seus trabalhos.